E-goooooool!!!!!!
Game de futebol é coisa séria; os torneios nacional e internacional são muito disputados.



Tem gente que treina 3 ou 4 horas por dia, buscando se aperfeiçoar
no domínio dos games de futebol Fifa e Pro Evolution Soccer . A prática vai além da diversão. Há cada vez mais polpudos prêmios em disputa. O último campeão brasileiro, por exemplo, recebeu 10 mil dólares da patrocinadora Konami.

Ser campeão não é para qualquer um. Para se ter uma ideia, a onfederação Brasileira de Futebol Digital e Virtual tem mais de 10 mil “atletas” federados e realiza por volta de 300 torneios por ano. Um campeonato digital segue os moldes de um real.

As federações estaduais realizam campeonatos locais; os vencedores participam da etapa nacional. O campeão, além do prêmio, recebe um
passaporte para participar do campeonato mundial. Foi o que aconteceu com o maranhense Marcos Vidal, o “Cruel”, que venceu o brasileiro e o mundial, realizado na França, em 2009.

Bola nas redes sociais

Os aficionados por games de futebol têm outro espaço: as redes sociais.
Mais de 1 milhão de pessoas estão jogando o Bola Social Soccer, game da
Playdom, no Orkut e no Facebook. Nele o jogador começa herdando um time
falido. A partir daí, o jogador controla todos os aspectos relacionados à sua equipe – do uniforme ao patrocínio –, buscando levá-la até a primeira divisão. Os adeptos do Bola não param de crescer.

O bike polo está na área brasileira
Aos poucos nova modalidade ganha adeptos nas quadras de São Paulo.

Aqui no Brasil, ainda é um recémnascido. Mas já começa a dar seus
primeiros passos. É o bike polo, modalidade esportiva inspirada no polo disputado em campos gramados com cavalos. A origem da versão popular dessa modalidade esportiva é europeia. O bike polo foi criado pelo ciclista Richard J. Mecredy, na Irlanda, em 1891. No início do século XX, o esporte se disseminou na Inglaterra, França e parte da Ásia, principalmente Índia. Desde 1996, há campeonatos internacionais de bike polo nos quais se destacam a Índia, o Canadá e os Estados Unidos.

Quem tiver uma bicicleta, um taco e vontade de se arriscar a tomar alguns tombos é candidato a desfrutar dessa prática esportiva, que pode se realizar em qualquer quadra de futsal. Em São Paulo, já há pelo menos dois espaços: a quadra da Praça José Carlos Burle, na Vila Madalena; e a
quadra do Parque do Ibirapuera. Nelas, em algumas noites, você pode encontrar gente combinando equilíbrio, precisão nas tacadas e, claro, quedas. São os primeiros aficionados desse esporte que – quem sabe?
– pode colar.


IR PARA O SUMÁRIO DESTA EDIÇÃO

PÁGINA INICIAL