Futsal
O esporte da bola pesada


A criação do futebol de salão é atribuída a Juan Carlos Ceriani,
professor de educação física da Associação Cristã de Moços (ACM)
de Montevidéu, Uruguai. Em 1934, Juan teria aperfeiçoado uma prática que
estava diante de seus olhos. O futebol de campo era muito popular nesse país, que havia ganhado a primeira Copa do Mundo, em 1930; mas, por falta de campos, as crianças praticavam futebol em quadras de basquete.

As primeiras regras desse esporte foram formadas a partir de regras de outros três: polo aquático, basquete e handebol. No início, jogava-se com cinco, seis ou sete jogadores. Posteriormente fixou-se o número de cinco jogadores em cada equipe. A bola também foi modificada no transcurso do tempo. Ela foi ganhando peso, para evitar sua saída frequente da quadra de jogo. A bola pesada talvez seja a mais marcante de suas características. O que fez com que essa modalidade durante algum tempo fosse chamada de o Esporte da Bola Pesada.

A aceitação da nova modalidade foi rápida. Em 1965 foi fundada a Confederação Sul-Americana de Futebol de Salão. Já nessa época a prática desse esporte era bastante difundida no Brasil. Em 1971 foi fundada em São Paulo a Federação Internacional de Futebol de Salão (FIFUSA), que organizou os três primeiros Campeonatos Mundiais de Futebol de Salão.
Em 1982, o Brasil sediaria a primeira Copa do Mundo dessa modalidade e
tornar-se-ia o primeiro campeão mundial. Em 1985, o Brasil repete a dose,
ganhando o torneio realizado na Espanha. Em 1988, na Copa disputada na
Austrália, o vencedor é o Paraguai.

A partir de 1989, a Copa passa a ser organizada pela FIFA. Nesse ano o país sede do torneio foi a Holanda. O Brasil foi o vencedor dessa disputa. O Brasil também se sagrou campeão nos dois mundiais seguintes: em 1992, em Hong Kong; e em 1996, na Espanha. Porém, a Espanha venceu em 2000, na Guatemala, e em 2004, na China. O Brasil ganhou a última Copa do Mundo, disputada novamente em nosso país, e tornou-se hexacampeão mundial.

Basquete
Acertar as cestas de pêssego


O rigoroso inverno de 1891 de Massachussets inviabilizava a prática
de esporte ao ar livre. Os estudantes norte-americanos não podiam jogar futebol americano ou beisebol, seus esportes prediletos. Em geral, as aulas de educação física em locais fechados eram enfadonhas. Por esses motivos, o professor canadense James Naismith recebeu do diretor de sua
escola, Springfield College, a missão de criar um esporte em ambiente fechado que ao mesmo tempo estimulasse a coletividade e não fosse violento.

A partir desses parâmetros, James imaginou que, no novo jogo, os alunos deveriam utilizar as mãos, não os pés, pois isso diminuiria os choques e a violência. Pensou em estabelecer um objetivo com certo grau de dificuldade
a ser atingido, algo como um alvo fixo que deveria ser tocado por uma bola.
Posteriormente, James estabeleceu que esse alvo estivesse a 3,5 m do solo, e utilizou duas cestas velhas de pêssego presas a suportes. Estavam
criadas as bases de um dos esportes mais populares do mundo: o Basquete.

Os passos seguintes foram a criação das regras e a superação de um problema: toda vez que o praticante acertava o alvo, o jogo era paralisado, para que a bola fosse retirada da cesta. As treze regras criadas inicialmente
formam a base das regras atuais; e o problema da cesta foi resolvido simplesmente cortando a sua base.

Em menos de 50 anos, o Basquete se tornou um esporte olímpico. Hoje, há mais de 300 milhões de praticantes espalhados pelo mundo e 170 países são filiados à Federação Internacional.



Handebol

O “jogo de urânia” conquistou o mundo

É difícil determinar a origem do handebol. Homero, na Odisseia,
descreveu um jogo com uma bola de tamanho de uma maçã, no qual se utilizavam as mãos e cujo objetivo era ultrapassar o oponente por meio
de passes. Na Grécia Antiga, esse jogo era chamado de “Jogo de Urânia”.

Os romanos praticavam um jogo parecido, sob o nome “Haspastum”. Jogos de lazer com bola foram praticados por moças e rapazes durante toda a Idade Média. Na França, no início do século XVI, praticavase uma espécie de precedente do handebol.

Não faltam precursores do handebol moderno. Em 1848, o dinamarquês Holder Nielsen criou o “Haandbold- Spiel” (Jogo de Handebol), versão
para quadra do esporte praticado em campo. Na mesma época, os tchecos
praticavam um jogo semelhante, denominado “Hazena”. Esse, por sua
vez, era um jogo similar ao “El Balon”, criado pelo uruguaio Gualberto Valetta e praticado na Irlanda. O “Hazena” também inspirou o professor de educação física alemão Karl Schellenz criou o handebol com características mais próximas às atuais.

Durante um período, o handebol foi praticado em campo aberto, com 11
jogadores, e em quadra fechada, com 7 jogadores. Com o tempo,
o jogo de quadra foi se popularizando e ganhando adeptos. Hoje, a prática indoor é predominante.

Em 1927, em Amsterdam, na Holanda, foi criada a Federação Internacional de Handebol Amador (FIHA), por 11 países. Em 1934, já havia 25 países membros da FIHA. Em 1936, o handebol passa a ser esporte olímpico, nas Olimpíadas de Berlim; e, 1938, é realizado o primeiro Campeonato
Mundial dessa modalidade.

Os avanços do esporte não pararam. Em 1946, fundou-se a Federação Internacional de Handebol, na Dinamarca. Aos poucos o handebol de quadra ganhou popularidade e hoje é praticado em mais de 180 países.



Vôlei

O Mononette foi criado para evitar choques e lesões

Em 1895, o professor de educação física americano Willliam C. Morgan criou o Minonette. A ideia que inspirou Morgan foi dar origem a um esporte no qual não houvesse contato físico e a incidência de lesões fosse baixa. Além disso, diferentemente do vôlei moderno, buscava-se um esporte de pouca exigência física, sem o desgaste dos esportes de muita movimentação,
pois a atividade tinha como alvo os idosos da Associação Cristã de Moços (ACM) de Holyoke, em Massachusets, nos Estados Unidos da América do Norte.

Morgan estabeleceu uma quadra retangular para a prática do novo esporte e a dividiu ao meio com uma rede semelhante à de tênis, a uma altura de 1,83m. O jogo, disputado por duas equipes, consistia em passar uma câmera de bola de basquete por cima da rede, utilizando as mãos. Foi essa caracterísca que provocou a troca do nome original para “volleyball”. No século seguinte ao da sua criação, o vôlei sofreu inúmeras mudanças
– equipamentos, regras, atletas –, e transformou-se em um dos esportes
mais populares do mundo.

Em 1947, foi fundada a Federação Internacional de Volleyball, em Paris, na França. O vôlei tornou-se esporte olímpico na Olimpíada de Tóquio (Japão), em 1964.



O vôlei de praia

Nos anos de 1930, em Copacabana e Ipanema, já era possível ver praticantes de vôlei de praia. Mas durante muito tempo essa modalidade
esportiva foi tida apenas como uma atividade recreativa de final de semana. A partir do Hollywood Volley, competição organizada nas praias do Rio de Janeiro (Copacabana) e de São Paulo (Santos), na qual estiveram reunidos os principais jogadores do mundo, a visibilidade e a importância desse esporte aumentaram.

Em 1987, a modalidade foi oficializada pela Federação Internacional de Vôlei
(FIVB). No mesmo ano, realizou-se o primeiro campeonato mundial masculino, na praia de Ipanema, no Rio de Janeiro; e, em 1989, a FIVB instituiu o Circuito Mundial Masculino. As primeiras competições
femininas foram realizadas em 1992 e o circuito mundial para as mulheres
foi instituído em 1994. A estreia do vôlei de praia como esporte olímpico
aconteceu em Atlanta.

IR PARA O SUMÁRIO DESTA EDIÇÃO

PÁGINA INICIAL