TVs brasileiras batem recordes de patrocínio e de audiência
COM A TRANSMISSÃO DOS JOGOS OLÍMPICOS, AS EMISSORAS DE TELEVISÃO FATURARAM CERCA DE 100 MILHÕES DE REAIS.

Para as empresas brasileiras de televisão, o espetáculo dos Jogos de Pequim brilhou como ouro. Elas comemoraram o sucesso de vendagem das cotas de patrocínio e dos índices de audiência.
O faturamento foi alto. Por causa do maior evento esportivo do planeta, a
receita dos canais se multiplicou. A diferença de 11 horas de fuso horário entre a China e o Brasil, não foi um problema. Como muitas competições se realizaram de madrugada, as empresas optaram por criar pacotes de patrocínio que incluíam inserções comerciais durante um longo período - antes, durante e depois dos Jogos. Assim, os patrocinadores têm sua marca ou seu produto veiculados não só no intervalo das transmissões das competições esportivas, nem apenas no período de realização das Olimpíadas.
Essa fórmula fez as TVs baterem recordes de vendagem das cotas comerciais. Juntas, as principais emissoras quase atingiram a cifra de R$ 100 milhões. Em comparação com as Olimpíadas de Atenas, de 2004, a venda dos direitos de transmissão praticamente dobrou.
A ESPN comercializou cada cota por R$ 8 milhões. O pacote era integrado e incluía seus canais, ESPN e ESPN Brasil, e internet. Os patrocinadores
das transmissões da ESPN foram a Petrobras, Toyota, Femsa, McDonald´s e Boehringer Ingelheim. Para a cobertura dos Jogos, a ESPN levou para Pequim 45 profissionais.
A Globosat comercializou um pacote para os canais SporTV por R$14,5 milhões, para cada anunciante. O pacote inclui mais de 8 mil inserções distribuídas entre setembro de 2007 e agosto de 2008. As cotas foram adquiridas pelo Bradesco, pelo Extra Hipermercados, pela Sadia, pela Citröen e pela Vivo. A Globosat levou 120 profissionais à China.
O pacote da TV Globo vendido para Bradesco, Nestlé, Olympikus, Peugeot,
Hypermarcas e Samsung foi de R$ 25,5 milhões a unidade; e incluía inserções entre os meses de janeiro e agosto de 2008.
A Globo teve 190 pessoas trabalhando em Pequim.
Duzentos profissionais da Band e a BandSports cobriram os Jogos. Cada cota publicitária dessa empresa saiu R$ 49 milhões, por unidade.
As cotas foram adquiridas pela Sadia, Caixa Econômica Federal, Ford e Petrobras.

AUDIÊNCIA

A comemoração não é só pelo desempenho comercial das TVs. Os índices de audiência foram 100% maiores do que a média do horário.
Para se ter uma idéia, na Globo, o jogo da seleção brasileira de futebol contra a China, iniciado às 8h45, horário de Brasília, teve um índice de 15
pontos, contra a média do mesmo horário, de 9 pontos.
Isso se repetiu nas madrugadas. Outro exemplo: o levantamento de peso feminino, realizado às 5h40, registrou 6 pontos contra a média de 2. O aumento dos índices de audiência foi comum a todos os canais que transmitiram os Jogos. Isso evidencia mais uma vez a capacidade de atrair do esporte. Um fenômeno da indústria de entretenimento.

IR PARA O SUMÁRIO DESTA EDIÇÃO

PÁGINA INICIAL