Projeto prevê a reutilização esportiva
da antiga sede da FUPE

TERRENO DE 30 MIL METROS QUADRADOS NA ZONA NORTE DE SÃO PAULO SERÁ UTILIZADO PARA A PRÁTICA DE ATIVIDADES ESPORTIVAS

O campo foi reformado e será utilizado para a realização dos jogos do JUP

Depois de muita discussão e litígio, a área que estava abandonada e que antigamente foi sede da FUPE, será administrada pela Associação Brasileira de Desporto Educacional (ABRADE) em parceria com a Secretaria de Esportes, Lazer e Recreação. O terreno será ocupado com atividades esportivas.
A área localizada na Avenida Zaki Narchi, zona norte de São Paulo, de mais de 30 mil metros quadrados, já abrigou por muito tempo jogos universitários e disputas em diversas modalidades esportivas, mas nos últimos anos esteve abandonada. O vandalismo tomou conta do local. Os ginásios não têm mais telhados, os placares eletrônicos desapareceram; fiações de cobre, alambrados e outros tipos de material que faziam parte da estrutura do complexo foram roubados. Sobram pichações, poças de água, que são um prato cheio para o mosquito da dengue, garrafas e entulhos de toda ordem. As construções viraram escombros.
Fundada em 18 de setembro de 1934, a FUPE atuou no terreno durante 40 anos. Em 2005, foi concedida para a Prefeitura liminar de reintegração de posse do terreno, que não estava sendo adequadamente utilizado. A partir de então a FUPE foi impedida de exercer ali qualquer atividade esportiva e administrativa. A única lembrança que permanece é um símbolo da FUPE, estampado na parede de um dos ginásios.

Início das reformas

O objetivo primeiro da ABRADE e da Prefeitura é a ocupação imediata do local. Já estão sendo feitas algumas reformas, e foram construídos vestiários. A área está sendo iluminada, e o campo, recentemente reformado, tem sido utilizado por universitários para treinamentos. O campo também será usado pelos atletas dos Jogos Universitários Paulistanos, a partir do dia 9 de agosto.
A estrutura física do local é tão grandiosa quanto o terreno. São três ginásios, duas quadras poliesportivas, duas quadras de tênis e um campo de futebol. Há muito a se fazer, para que o local volte a ser adequado para utilização esportiva.

Centro de formação e clube-escola

A ocupação do local está subordinada a uma perspectiva mais ampla: além de resgatar o esporte universitário, será criado um clube-escola, que promoverá a prática do esporte para crianças e adolescentes. A idéia é que as universidades cedam professores para dar aulas à criançada e aos jovens.
O projeto também recebe apoio do governo federal. “A iniciativa tem total apoio do governo federal. Não seremos simples coadjuvantes ou meros fiscalizadores do projeto. Vamos participar ativamente”, garante Júlio Filgueiras, Secretário Nacional de Esporte Educacional.
Se isso tudo se concretizar, a população ganhará um centro esportivo que une, por meio de um trabalho de base, as práticas esportivas da educação infantil, do ensino fundamental e do universitário.

No local onde o esporte universitário reinou, ainda há muita ruína.

IR PARA O SUMÁRIO DESTA EDIÇÃO

PÁGINA INICIAL